Como levar animais na viagem de avião

Uma vez desabou um toró daqueles de alagar o Rio de Janeiro bem no instante em que eu tinha acabado de entrar no avião no Aeroporto Santos Dumont. Com a chuva e muitos raios, era impossível decolar, mas também era impossível descer (o embarque tinha sido remoto e a pista estava perigosa por causa dos raios). Resultado: ficamos três horas dentro do avião parado, esperando para ver se iríamos enfim decolar ou se o voo seria cancelado. Acabamos decolando. Foram quatro horas entre espera e chegada. Todo esse tempo sem lanche, apenas água quando já estávamos voando. Sem ar condicionado também quando parado. Era janeiro, só para constar. Desconfortável para todos os passageiros, especialmente para idosos, grávidas e crianças, suponho eu. Mas, mais desagradável ainda, devia estar para um cãozinho, cujo latido/choro foi ouvido durante todo esse período. Eu estava angustiada. Imagina a dona!!! Era de cortar o coração.

Já acompanha o blog nas redes sociais? 
Curta a página no Facebook e siga no Twitter e Instagram.

Outro dia vi uma matéria sobre transporte de animais em avião e me lembrei dessa história. Publicada no Jornal O Globo, a matéria mostrava um vídeo da companhia aérea espanhola Iberia, protagonizado pela cadela Cota. Nas imagens, momentos da viagem, como a fila de embarque, a caixinha de transporte, a chegada à aeronave, e o comunicado à dona de que Cota já estava a bordo.

Viagem com animais: o que é necessário?

Nunca passei pela experiência de viajar com cachorro de avião e nunca soube exatamente como funciona isso. Às vezes fico até pensando se não seria crueldade demais submeter os animais a isso, mas entendo que, para muita gente, é inevitável ter que levá-los – por opção ou por falta de opção, que seja. Mas li que, para eles, o avião é mais confortável que o carro. E ter a certeza de que ele está bem durante o voo deve dar uma tranquilidade tremenda.

animais-viagem-aviaoNo geral, as regras para levar animais no avião são: certificado de vacinação em dia, atestado de saúde fornecido pelo veterinário no máximo três dias antes da viagem, Certificado Zoo Sanitário Internacional fornecido pelo Ministério da Agricultura apenas em caso de viagens fora do Brasil, e, em alguns casos, pode haver necessidade de sedação, passaporte especial, limite de animais por voo, entre outras exigências que variam de acordo com cada companhia. Para viagens internacionais, pesquise também se o país de destino aceita seu animal ou se há alguma restrição.

De acordo com a matéria, animais de até oito quilos (peso somado ao da bolsa de transporte) podem ir na cabine junto com seu dono. Ufa, se eu precisar um dia levar o Theo, meu poodle, ele passa! =) Se o peso for maior que isso, eles precisam ir no compartimento de carga e, segundo a Iberia, o ambiente tem temperatura controlada. Outra informação importante: apenas cachorros, gatos, pássaros e tartarugas têm autorização para embarcar. Quem possui outras espécies precisa entrar em contato com a transportadora.

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Email this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *