Namore alguém que viaje…

No clima do Dia dos Namorados (12/06), compartilho aqui trechos de dois textos que eu adoro e que têm tudo a ver com a data: Namore uma mulher que viaja (do original “Date a girl who travels”, escrito por Aleah Taboclaon no blog Solitary Wanderer) e Namore um homem que viaja (do original “Date a boy who travels”, escrito por Lena Desmond no blog Thought Catalog).

Mulheres que viajam

“Ela prefere guardar dinheiro para viagens fora da cidade ou um passeio ao invés de comprar roupas ou sapatos novos. Ela pode não estar na moda, mas, por trás daquele pele com sardas há uma mente que pode te levar para vários lugares. Ela é confiável e segura, características que aprendeu na estrada. Nada a pega de surpresa, ela sabe que a qualquer hora algo pode acontecer e deve estar preparada para isso. Essas coisas fazem parte da vida…

Uma mulher que viaja está sempre maravilhada com o mundo em sua volta, não importa se está na sua cidade natal ou em um lugar totalmente novo. Ela vê a beleza em tudo à sua volta, não só no que é mostrado em cartões postais. E tem profunda apreciação pela vida. Ela não vai te julgar ou te pressionar para fazer coisas que você não quer. Ela entende sobre a importância de identidade, independência, e vai admirar muito mais se você não fingir ser o que não é.

Ela sabe que já esteve em muitos lugares, mas é humilde pelo fato de que o mundo é ainda um lugar enorme e ela vi apenas uma pequena parte disso. Enxergar isso nela pode fazer você se sentir bem consigo mesmo e não é preciso fazer mais nada para ser mais. O que você é já é suficiente. Ela não vai querer presentes caros. Ela vai te ajudar a ver o lado mais tranquilo das coisas. Ela sabe que muitas vezes a jornada é mais importante que o destino.

Quando encontrar uma mulher que viaja, pergunte a ela onde esteve e para onde está indo. Ela vai adorar seu interesse e, se você tiver sorte, ela pode te convidar para ir com ela. E, quando ela fizer isso, vá! Nada une melhor as pessoas do que viajar.

Portanto, se você encontrá-la, segure-a. Namore, ame, case-se com ela! Não a perca com suas inseguranças e dúvidas. Porque se ela diz que te ama, ela realmente ama. Afinal, ela tem visto tanta coisa, conhecido tanta gente, e, se escolheu ficar com você, melhor pegar essa oportunidade. Faça ela se sentir protegida e acreditar que, não importa onde vá ou quanto tempo fique, você estará em algum lugar que ela poderá chamar de lar.”

Já acompanha o blog nas redes sociais? 
Curta a página no Facebook e siga no Twitter e Instagram.

Homens que viajam

“Um homem que valoriza a experiência ao invés de videogame, uma pulseira de tecido feita à mão ao invés de um Rolex. Que converse sobre lugares distantes, cujas mãos tenham explorado as ruínas das civilizações antigas e cuja mente tenha imaginado aquelas mãos cavando, esculpindo e pintando as maravilhas do mundo. E quando ele conversa, é como se estivesse revivendo isso com você. E você vai desejar tudo isso para você também.

Um homem que viveu com uma mochila, vive mais feliz com menos. Um homem que viaja já viu a pobreza, já jantou com quem vive em um barraco pequeno sem água e ainda assim recebem desconhecidos com mais hospitalidade que os ricos. E por isso ele enxerga como a vida sem luxo pode significar uma vida alimentada por relacionamentos ao invés de ego. Ele experimentou diferentes maneiras de ser, respeita religiões alternativas e olha para o mundo com olhos de uma criança curiosa e com fome.

Ele aprecia o lar, o conforto e a segurança da família, a conversa de amigos… Teve a chance de sentir saudade e entende uma coisa ou duas sobre despedidas. Sabe como a ruim a incerteza de um “até logo” indefinido nos portões de embarque, mas, ainda assim, vai sem medo para o desconhecido, porque conhece o sentimento de retorno e o abraço de saudade que é o melhor do mundo. Embora superindependente, teve tempo para refletir sobre si.

Não segure este homem. Deixe ele ir e vá com ele. Ele vai viver cada segundo intensamente com você, porque é assim que ele vive a vida dele. Ele entende que a felicidade nada mais é que uma série de momentos espontâneos que ele está determinado a viver com você o máximo que puder. Ele entende também que você precisa dos seus momentos sozinha e que tem sua própria lista de sonhos para realizar. Essa independência é a base de uma relação saudável quando é mutuamente respeitada. Vocês encontrarão juntos a alegria de viver.

Case-se com um homem que viajou o mundo e juntos farão do mundo a casa de vocês. Talvez vocês morem em outro país e seus filhos aprenderão novos idiomas e costumes que abram suas mentes desde pequenos. Ele vai explicar às crianças que mascarar as oportunidades é medo e fará com que concordem com isso. E quando vocês estiverem velhos, se sentarão com os netos com e mostrarão as fotografias enquanto eles se transportam para dentro delas, maravilhados pelas belezas do mundo e inspirados por tudo que vocês viveram.

Mas, se não encontrar esse homem, viaje! Vá! Abrace isso. Explore o mundo por você mesma/o, porque a realidade é feita de sonhos.”

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Email this to someone