Turismo Religioso

Em todo o Brasil, a fé move muitas pessoas que viajam para fazer o chamado “turismo religioso”, especialmente entre os católicos. Há cidades onde as igrejas são o principal atrativo, enquanto outras têm festas tradicionais consideradas como ícones da cultura local.

A maior manifestação católica acontece no Círio de Nazaré, em Belém, no Pará. Anualmente, no segundo domingo de outubro, cerca de dois milhões de pessoas participam das missas e procissões. Um dos símbolos mais marcantes dessa festa é a Corda, segurada (e disputada) pelos chamados ‘promesseiros’.

A cidade de Aparecida, no interior de São Paulo, famosa por ter a maior basílica do país, também é ponto certo dos religiosos. Além das romarias de ônibus, há pessoas que vão até a cidade a pé, de bicicleta ou a cavalo, como forma de cumprir alguma promessa ou agradecer. O período mais cheio é em outubro, especialmente no dia 12, quando se comemora o Dia de Nossa Senhora Aparecida, a Padroeira do Brasil.

Já acompanha o blog nas redes sociais? 
Curta a página no Facebook e siga no Twitter e Instagram.

Nas cidades históricas de Minas Gerais, um estado de forte tradição religiosa, as igrejas e a arte sacra atraem um grande número de turistas, independente de haver ou não festas nos locais. Eu, que não sou católica, mas sou mineira (o que é quase sinônimo eheheh), já participei algumas vezes desse tipo de turismo/celebração e considero interessante principalmente pelo lado cultural.

Também são muito populares as Festas do Divino, que acontecem em diferentes regiões do país. Elas foram introduzidas no Brasil com a colonização portuguesa e, embora não tenham datas fixas, começam a ser realizadas cinquenta dias após a Páscoa.

Uma das mais expressivas é a de Pirenópolis, em Goiás, que acontece desde 1819 e atualmente chega a receber cerca de 20 mil pessoas por dia, segundo informações do Ministério do Turismo. Considerada a maior do país, tem como ponto alto a encenação da luta entre mouros e cristãos, chamada Cavalhada.

portal_interna_festa_do_divino_2

Em Paraty, no Rio de Janeiro, também se celebra a Festa do Divino, que conta com diversas celebrações religiosas, procissões e ladainhas em vários locais turísticos da cidade, como a Igreja Matriz de Nossa Senhora dos Remédios e a Praça da Matriz.

Muitas dessas festas têm o título de Patrimônio Cultural Imaterial pelo Iphan (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional). “O Brasil tem cenários culturais muito profundos, o que faz com que esteja entre os maiores potenciais culturais no planeta, segundo o Fórum Econômico Mundial. E o Ministério tem feito esforços nessa direção, para transformar esses destinos históricos não só em produtos turísticos, mas em locais que possam desenvolvr a cultura e também a consciência sobre  a história do país”, diz o secretário de Políticas do Ministério do Turismo, Vinicius Lummertz.

Para ler ouvindo:

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Email this to someone