Morar no exterior: história do Marcelo

“Estou há 1 ano, 2 meses e 10 dias morando em Londres, no Reino Unido. Sim, eu conto cada dia! Antes disso, já tinha passado um mês em Portugal, há 12 anos atrás, mas a passeio. Vim para Londres pela experiência de viver em outro país, com outra cultura, etc. Meu sonho sempre foi o Canadá, mas acabei escolhendo Londres por ser mais fácil para mim, já que, como meus pais são portugueses, tenho cidadania portuguesa e pude tirar o passaporte europeu, que me dá direito a tudo, como qualquer cidadão nascido na Europa. E também por indicação de amigos. Larguei meu emprego, família, amor e vim. A ideia inicial era ficar apenas 3 meses e meio – era o que o dinheiro dava. Acabei conseguindo emprego na minha área e fiquei. Pretendo voltar algum dia, mas não faço a menor ideia de quando.Moro numa casa com mais quatro pessoas, um brasileiro, uma polonesa, um italiano e um checo. Alugo apenas o quarto e divido as áreas comuns. Mas já morei com uma família. Falava bem pouco o idioma (tinha feito um curso de inglês há 15 anos) e não tinha tanta segurança, mas ouvir a língua todos os dias é a melhor forma de aprimorá-la. E não tive dificuldade em me adaptar ou por ser estrangeiro. Foi bem o contrário. Cheguei aqui na época da Copa do Mundo no Brasil. Era tratado como um famoso, faziam muitas perguntas. O único problema de morar longe (muito longe) é a falta da família e amigos. Às vezes bate um sentimento de solidão. Mas de resto estou bem tranquilo.

Já acompanha o blog nas redes sociais? 
Curta a página no Facebook e siga no Twitter e Instagram.

Tive ganhos profissionais e pessoais, mas acho que o lado pessoal ganhou mais. Ser independente te obriga a ver tudo com outros olhos. E viver numa cultura que não é a sua traz muitos benefícios. É um aprendizado diário.

Mas a realização de um sonho nunca é fácil, exige muito planejamento, esforço, trabalho, dinheiro e muitas horas de ansiedade. E ter o apoio da família e amigos é primordial. Deixo uma mensagem para quem tem vontade de morar fora e ainda não se decidiu: vá!”

Por Marcelo Mateus, designer, carioca.
Fotos: Arquivo Pessoal.

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Email this to someone

3 thoughts on “Morar no exterior: história do Marcelo

  1. Boa moleque…estaremos sempre aqui te esperando e ao mesmo tempo te apoiando pra que você faça tudo aquilo que um dia você já sonhou…orgulho nível máximo…te amo…e continue fazendo tudo do jeito que você sempre fez…pois não terá como da errado. Abração.

  2. O que eu escrever, vai parecer, coisa de mãe, mas se o orgulho de teu irmão esta no máximo a onde esta o nosso, meu e teu pai?, acho que não tem limite para medir, vc nasceu pra ser um vencedor e esta sendo, sonhar é um sentimento de muito prazer, realiza-los, aí nem se fala, portanto aproveite, aprenda e cresça, a vida é para ser vivida e bem.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *