Viver fora do Brasil: histórias de quem foi estudar, trabalhar e morar no exterior

Marília e Francine foram trabalhar nas férias. Fábio e Daniel foram fazer intercâmbio quando cursavam o segundo grau. Fernando foi durante a faculdade, fazer parte do curso. João Victor foi trabalhar como voluntário. Marcelo foi para ficar três meses e, mais de um ano depois, ainda não voltou. Isabele está com as malas prontas e cheia de expectativas… Conheça melhor as histórias de pessoas que, por diferentes motivos e objetivos, resolveram passar uma temporada morando fora do Brasil.

Trabalho no exterior nas férias

intercambio-trabalho-exterior-francineFrancine ficou quase quatro meses na cidade de Copley, no estado de Ohio, nos Estados Unidos, através de um programa que concilia as férias da faculdade com o intercâmbio. Ela estava terminando o curso de inglês e teve a oportunidade de colocar em prática o que sabia, além de aprender novas palavras e expressões. “Não tenho palavras para descrever o quão enriquecedor foi meu intercâmbio. Voltei uma nova pessoa, mais segura, mais sociável, mais independente e com uma visão de mundo muito maior”, diz. Clique aqui para conhecer a história completa.

marilia-william-trabalhar-exteriorMarília também viveu essa experiência, no vilarejo Boyne Falls, que tem apenas 400 habitantes, em Michigan, nos Estados Unidos. Ela e o namorado, William, passaram dois meses e meio trabalhando no hotel Bluegreen Vacations. A dificuldade ficou por conta do clima, com temperaturas médias de -13º e a mais baixa de -29º! “Os ganhos em viver uma experiência como essa são imensos. A cabeça abre para diversas coisas, você passa a julgar menos a cultura diferente, se conhece mais, dá valor ao que tem e, principalmente, perde o medo de se arriscar em novas experiências”, conta. Clique aqui para conhecer a história completa.

Já acompanha o blog nas redes sociais? 
Curta a página no Facebook e siga no Twitter e Instagram.

Intercâmbio: high school e faculdade

intercambio-exterior-eua-fabioFábio tinha apenas 16 anos quando foi passar um ano nos Estados Unidos, cursando o equivalente ao segundo ano do segundo grau no Brasil. Morou em duas cidades – Minneapolis e Willmar – com quatro famílias diferentes. Depois disso, já viajou muito e participou de outro programa de intercâmbio, para a França. “Meus maiores ganhos foram toda a conquista pessoal em questão ao amadurecimento, ao respeitar o outro, se deixar ver o mundo com outra perspectiva. E graças ao inglês que aprendi lá acabei me tornando professor da língua e um apaixonado por viajar, por estar em solo estrangeiro”, relata. Clique aqui para conhecer a história completa.

intercambio-europa-danielDaniel foi para a Alemanha (Schwarzenfeld, no estado de Bayern) também com 16 anos e diz que a experiência foi tão positiva que mudou o rumo da sua vida. “Inicialmente fiquei um pouco inseguro, mas acabei me acostumando bem rápido. Os alemães adoram brasileiros. A cultura do país é maravilhosa, a comida fantástica e a cerveja mais ainda! Depois que voltei decidi cursar gastronomia – faço bacharelado na UFBA – e a experiência também me motivou a estudar o mundo cervejeiro mais a fundo. Hoje sou consultor de análise sensorial de cervejas e em agosto do ano que vem finalmente voltarei para a Alemanha”, conta. Clique aqui para conhecer a história completa.

estudar-faculdade-exterior-ciencia-sem-fronteiras-fernandoFernando já estava na faculdade de Engenharia Mecânica quando teve a oportunidade de fazer parte do curso no Canadá pelo programa Ciência sem Fronteira. “Depois de ficar um ano inteiro sem ver minha família, amigos, namorada,, já estava com uma certa vontade de voltar. E no final do ano os -20, -30, -40 °C diários já me incomodavam mais. Mas até hoje ainda dá uma nostalgia e vontade de voltar para lá. Foi ótima a experiência de ver um país tão grande e tão organizado, onde as coisas funcionam como devem funcionar. Não tenho nenhum plano de me mudar novamente, mas, se alguma boa oportunidade surgir, vou sem pensar muito, não só para o Canadá”, diz. Clique aqui para conhecer a história completa.

Voluntariado fora do país

joao-victorJoão Victor foi para Culiacán, no México, realizar um trabalho social, voluntário, com crianças órfãs. “Me tornei uma pessoa muito mais consciente dos meus limites e capacidades. Tive que lidar sozinho com diversas questões e voltei mais maduro, paciente, sábio, apaixonado pelo mundo. O intercâmbio despertou em mim uma liderança de poder estimular as pessoas que estão ao meu redor, para que possam querer atrair resultados qualitativos e positivos sempre. Penso que todos deveriam se permitir essa experiência, você sempre sai se conhecendo melhor (e conhecendo melhor o mundo)”, afirma. Clique aqui para conhecer a história completa.

Morar no exterior vale a pena?

morar-no-exterior-marceloMarcelo, que está há mais de um ano em Londres, garante que sim. Tanto é que foi para ficar apenas três meses e ainda não voltou. Como tem cidadania portuguesa e passaporte europeu, ele não precisa se preocupar com questões como o visto, já que tem todos os direitos como qualquer cidadão nascido na Europa. #achochique “Tive ganhos profissionais e pessoais, mas acho que o lado pessoal ganhou mais. Ser independente te obriga a ver tudo com outros olhos. E viver numa cultura que não é a sua traz muitos benefícios. É um aprendizado diário. Deixo uma mensagem para quem tem vontade de morar fora e ainda não se decidiu: vá!”. Clique aqui para conhecer a história completa.

isabele-fernandesIsabele ainda não foi, mas já está cheia de expectativas. Em 2016 ela embarca rumo à Irlanda, onde vai ficar por um ano. “Minha intenção era de estudar francês ou italiano, línguas que sempre quis aprender, mas, ouvindo a dica de alguns amigos, me aconselharam a começar pelo inglês, que é primordial. Estou com medinho, mas só mesmo a preocupação de não conseguir me comunicar. No mais, espero muito dessa experiência, primeiramente por aprender o idioma, e segundo pelo convívio com tantas culturas, que é o que mais me fascina,essa troca de vivências, de ideologias com tantas etnias diferentes”. Clique aqui para conhecer a história completa.

Fotos: Arquivo Pessoal

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook23Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Email this to someone

One thought on “Viver fora do Brasil: histórias de quem foi estudar, trabalhar e morar no exterior

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *