Jardim Botânico do Rio de Janeiro

Se eu, que vim de Minas, sofro com o calor do Rio, imaginem só Dom João, que veio de Portugal… E, reza a lenda, foi para tentar amenizar essa sensação que ele mandou criar o Jardim Botânico. Seja qual for a razão, fato é que o local foi realmente criado por um decreto dele e inaugurado no dia 13 de junho de 1808.

Atrações do Jardim Botânico

Localizado na rua e no bairro que levam os mesmos nomes, além de ser um dos mais importantes centros de pesquisa mundiais nas áreas de botânica e conservação da biodiversidade, é, também, um passeio turístico delicinha de se fazer. 

A área mais conhecida é o grande corredor das palmeiras imperiais, onde algumas cenas de novela já foram gravadas (sim, eu tenho novelas como referência). Parada obrigatória para fotos. Outro espaço que eu gosto muito é o orquidário. Também adoro o Chafariz Central.

Mas espaço é enorme e abriga várias espécies de plantas nacionais e de outros países, inclusive algumas raras e ameaçadas de extinção. Tem até pau-brasil.

História

O primeiro nome do espaço foi Jardim da Aclimação, mas, ainda no primeiro ano, mudou para Real Horto. Com a independência do Brasil, em 1822, passou a se chamar Imperial Jardim Botânico e só então foi aberto à visitação pública.

Em 1890, um ano após a proclamação da república, passou a ser chamado apenas de Jardim Botânico e se transformou em ponto turístico depois da visita de algumas figuras ilustres, como Albert Einstein (emoji de carinha de espanto, nunca pensei!). Em 1937 foi tomado pelo Instituto do Patrimônio Hisórico e Artístico Nacional (Iphan). E desde 1995 recebeu o atual nome de Instituto de Pesquisas Jardim Botânico do Rio de Janeiro, mas, ‘de volta ao começo’, continua sendo chamado apenas de Jardim Botânico mesmo.

Como visitar

Endereço: Rua Jardim Botânico, 1008, Jardim Botânico, Rio de Janeiro (Entrada de pedestres também pela Rua Pacheco Leão, 101, e de ciclistas pela Rua Jardim Botânico, 920)

Horários: segunda das 12h às 17h, terça a domingo de 8h às 17h.

Preço: R$ 9,00 (somente em dinheiro). Crianças de até sete anos, adultos acima de 60 e estudantes ou professores da rede pública em visitas escolares não pagam. Mais informações no site oficial.

Dicas: leve um repelente e, se possível, evite o verão (acho que a ideia de amenizar o clima talvez não tenha funcionado muito bem).

Se você gostou desse post, curta a página do blog no Facebook e acompanhe todas as novidades por lá!

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Email this to someone

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *