O que fazer em Maceió: dicas de passeios na cidade e bate e volta

Conheci Maceió durante minha viagem ao Nordeste e foi um dos lugares que mais adorei conhecer.  Além de ter muita coisa bacana na própria cidade, também fica perto de outros atrativos que podem ser conhecidos em um bate e volta. Praias lindíssimas, comidas gostosas, cenários deslumbrantes, programas culturais… Ótimo destino para o verão que, por lá, diga-se de passagem, dura o ano todo – eba!!! Veja algumas dicas:

Pontos turísticos de Maceió

Praias de Pajuçara e Ponta Verde

o-que-fazer-em-maceio-dicas-pajucaraFiquei hospedada mais ou menos entre uma e outra, então aproveitei para conhcer essas duas que são as principais praias de Maceió. E gostei das duas. São bonitas, água superclarinha, coqueiros que garantem um pouco de sombra, vento no fim da tarde, quiosques com boa estrutura (alguns famosos, como o Lopana, onde costumam ter shows), pistas de corrida e de bicicletas… Quem quiser pode fazer também um passeio de jangada em Pajuçara e conhecer as piscinas naturais que ficam a 2km da orla. Outras praias, que não conheci, mas tive boas referências, são Jatiúca e Cruz das Almas (as duas com ondas fortes e, por isso, muito frequentadas por surfistas).

Feira de Aresanato

Sou suspeita pra falar porque AMO uma feirinha de artesanato. É onde a gente encontra de um tudo – roupas, bolsas, acessórios, souvenirs… Essa fica na praia de Pajuçara (Travessa Dr. Antônio Gouvêia, 68) e lá também ficam pessoas oferecendo os passeios de ônibus para as outras praias da região.

Já acompanha o blog nas redes sociais? 
Curta a página no Facebook e siga no Twitter e Instagram.

Pontal da Barra

É um bairro super tradicional onde moram rendeiras e pescadores. Nas portas de suas casas, elas tecem as famosas rendas. É um trabalho encantador, detalhado e o resultado pode ser visto em toalhas de mesa, roupas e outras peças. O pôr do sol de lá é maravilhoso (e #semfiltro), por isso a dica é ir no fim da tarde.

Atrações Culturais

A cidade possui vários museus, para quem quer fugir um pouco da praia. O dia que reservei para isso era um feriado local (dica importante: pesquise sobre isso antes de ir para qualquer cidade) e muitos estavam fechados. Fui somente no Memorial à República, que gostei muito.

Comidas típicas

Em qualquer lugar do Nordeste, não pode faltar tapioca. Comi umas maravilhosas na entrada do Pavilhão do Artesanato, em frente à feirinha (do outro lado da rua), com recheios delícias. Para sorvetes com sabores locais (ou os tradicionais), indico a Sorveteria Delícias do Serrado.

Encontre o melhor hotel para se hospedar em Maceió! 
Você não paga nada a mais e ainda ajuda o blog:

    
    Booking.com

Bate e volta de Maceió

Reserve dois ou três dias para conhecer os locais próximos a Maceió. Há ônibus que fazem esses passeios por preços bem em conta. No hostel que fiquei eles já me indicaram logo na chegada e, durante o passeio, as pessoas que conheci também estavam lá por indicação de seus respectivos hotéis/pousadas. Então acredito que é praxe oferecerem. Pergunte na recepção ao chegar. Meus preferidos foram:

Maragogi

o-que-fazer-em-maceio-dicas-maragogiAs piscinas naturais de Maragogi são incríveis! Juro que não dei nada pela cidade quando cheguei por lá, mas, depois, no barco, fui vendo o cenário paradisíaco, que fica a cerca de 5km da orla mar adentro. O barco ancora e, por algumas horas, é possível nadar em águas cristalinas, como se fosse mesmo uma piscina, em meio a peixes. Os mais corajosos podem fazer mergulho. Os mais receosos, como eu, podem alugar um snorkel para pelo menos colocar a cabeça dentro d’água e ver melhor os peixes. Programa imperdível!

Praias do Francês e do Gunga

Fiz as duas em um dia só, no mesmo pacote. Foi uma parada rápida na Praia do Francês (foto abaixo), só mesmo para que pudéssemos conhecer e, em seguida, a Praia do Gunga, onde passamos o dia todo. O local é estruturado, tem restaurantes, etc. E o trecho de uma praia à outra pode ser feito por terra ou pelo mar (pago à parte).

Hibiscus

O restaurante de mesmo nome fica na praia de águas transparentes e cheia de coqueiros. O local é tranquilo e tem uma superestrutura, inclusive para crianças. Paga-se para entrar e o consumo é à parte. Esse passeio ao Hibiscus infelizmente não fiz. Mas dizem que é sempre bom ficar algo sem fazer, porque é um motivo para voltar à cidade. Não que eu precisasse… =)

Onde ficar

Me hospedei no Maceió Hostel, no bairro de Pajuçara, a pouquíssimas quadras da praia e bem perto de comércio. Ao contrário do que muita gente ainda pensa, os hostels podem ser locais muito confortáveis, limpos, não deixando nada a desejar a pousadas ou mesmo hotéis. Claro que isso varia para cada estabelecimento, por isso costumo sempre buscar pelos que são da rede HI (Hostelling International), porque seguem um padrão. Também não é obrigatório dividir quarto ou banheiro. Essa é uma opção para quem quer economizar ainda mais, mas também há quartos individuais ou de casal, com banheiro privativo, televisão… Como eu estava sozinha, fiquei em um individual (se não me engano, foi 90 reais a diária, com um ótimo café da manhã). Valeu muito a pena.

Para ler ouvindo:

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook114Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Email this to someone

8 thoughts on “O que fazer em Maceió: dicas de passeios na cidade e bate e volta

  1. Ir para a praia sozinha é bom? Sempre tive vontade de conhecer alguns lugares e não vou muitas vezes por falta de compania, falta de tempo com quem costuma viajar comigo… mas sempre achei que deve ser meio solitario viajar sozinha para a praia…o que você achou?

    • Oi Débora! Eu moro no Rio e já tenho o costume de ir à praia sozinha, sempre levo um livro, fone para ouvir música, meio que me acostumei. Mas, para viajar sozinha tbm sempre evitei lugares de praia pq tinha medo de ser muito solitário. Minha dica é optar por lugares que tenham atrativos além da praia! Pq passar o dia todo na praia, todo dia, pode ser realmente chato (fora que não dá pra entrar no mar e deixar as coisas na areia, esses detalhes). Mas ir à praia de manhã, caminhar um pouco, depois a um museu a tarde, fazer um passeio de barco no outro dia, enfim, tentar variar… E sempre pode ter tbm a opção de conhecer gente na própria viagem, eu mesma, nos passeios que fiz de bate e volta, tinha mais gente que também tava sozinha, então formamos grupos. Mas é algo que depende mto de pessoa pra pessoa, tem gente que nem assim consegue. De qquer forma, acho que vale a tentativa. Comece com viagens curtas, um fim de semana, por exemplo, depois um feriado prolongado, e vai vendo como vc se sente.

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *