Mangue Seco, na Bahia: um dia na terra de Tieta do Agreste

mangue-seco-bahia-bate-volta-aracaju

A cidade de Mangue Seco, na Bahia, é famosa por ser a “terra de Tieta”, personagem do romance de Jorge Amado que foi adaptado para a TV – e as cenas da  novela também foram gravadas lá. Conheci a cidade em um bate e volta partindo de Aracaju e, sem nenhum exagero, foi um dos passeios mais legais que já fiz.

Curta a página do blog no Facebook!

Como ir a Mangue Seco

Fiz o bate e volta de Aracaju a Mangue Seco com a Nozes Tour. A van sai pela manhã e vai até a ponte do Rio Piauí, que fica na divisa de Alagoas e Bahia. Esse trecho é bem rápido, acho que uns 40 minutos no máximo.

Lá os passageiros desembarcam em um pier e entram em uma escuna, que faz a travessia do rio. Também é um trajeto rápido, em torno de 30 minutos.

mangue-seco-bahia-escuna

mangue-seco-bahia-calcadao-casas

Chegando a Mangue Seco, a primeira parada é o restaurante/pousada “Fantasias do Agreste”, ponto de apoio do passeio, onde todos são recebidos com um suco gelado de cupuaçu ou goiaba como cortesia e, mais tarde, onde o almoço é servido.

Essa é só uma paradinha rápida para banheiro e para explicar melhor sobre o passeio e os horários de volta.

mangue-seco-bahia-restaurante

De lá, seguimos pelo calçadão, que é uma gracinha, com o rio de um lado e casinhas e pousadas do outro, até chegarmos ao estacionamento de onde saem os bugres.

Cada bugre leva até quatro pessoas. Eu estava sozinha, mas fiz amizade com um casal e fomos em três. Há diferentes tipos de passeio, nós escolhemos o que faz cinco paradas. Os valores são tabelados pelo sindicato dos bugueiros, uma forma justa de valorizar esse trabalho que é uma das principais fontes de renda do local. Mas o pagamento é feito ainda na van e cada agência faz o repasse.

mangue-seco-bahia-escuna

mangue-seco-bahia-bugres

De bugre pelas dunas

Sobre esse passeio, nem sei o que dizer. O bugre subindo e descendo pelas dunas, areia a perder de vista, alguns mirantes onde era possível ver parte da vegetação ou o mar, coqueiros “no meio do nada”, envergando no ritmo do vento… E até uma barraca que vende coco em uma das paradas do bugre. Uma vida simples, um povo simpático e um cenário indescritível.

mangue-seco-bahia-dunas

mangue-seco-bahia-dunas-3

mangue-seco-bahia-dunas-coco

Nenhuma foto que eu postar nem nada que eu disser vai descrever o passeio pelas dunas. Só vendo de perto mesmo para saber. Dos lugares mais lindos que já conheci! Vale muito a pena.

Era nas dunas que Tieta pastorava suas cabras. E lá, também, foi o local de uma das cenas mais marcantes da novela, quando a personagem, com um lenço vermelho, celebrando a volta para casa depois de passar muitos anos fora.

Tenho flashs dessa cena na minha memória, ao som de Fafá de Belém… Imagina se não peguei minha canga e fiz igual, né? Porém, para publicar preferi uma assim mais, digamos, comportada. 😀

mangue-seco-bahia-dunas

Praia de Mangue Seco

Depois o bugre chega à praia e a gente combina com o motorista um horário para nos buscar e levar de volta ao restaurante. A praia é uma delícia. Faixa de areia grande, água na temperatura ideal e ondas relativamente tranquilas.

Na areia, quiosque com mesas/cadeiras e redes, com infraestrutura de restaurante para quem quiser petiscar ou mesmo almoçar.

mangue-seco-bahia-praia-quiosques

mangue-seco-bahia-mar

Como a saída para Aracaju estava prevista para 15h30, marcamos para o bugre nos pegar às 14h na praia. Assim daria tempo de chegar ao restaurante, almoçar – o buffet é livre, com opções de peixes, carnes e saladas – e ainda dar uma volta pelo centrinho, que é muito pequeno, com chão de terra, só algumas casas e lojas de souvenirs…

mangue-seco-bahia-centrinho

A cidade tem um ar bucólico e uma sensação de que o tempo não passou. Algumas de suas construções ficaram famosas por causa da novela. Entre elas estão a igreja, o local onde era o bar onde o personagem Bafo de Bode bebia, e algumas casas, a mais conhecida é a que era a do pai de Tieta –  a senhora que hoje mora lá montou uma espécie de lojinha na entrada, o “Recanto Dona Sula”, e vende souvenirs, sorvetes e doces. Boa pedida para uma sobremesa enquanto espera o horário de voltar.

mangue-seco-bahia-igreja

mangue-seco-bahia-casa-tieta

O preço do bate e volta de Aracaju a Mangue Seco é R$ 130,00. Esse valor inclui a van, a escuna e o almoço (apenas bebidas à parte). O bugre é pago separadamente de acordo com o tipo de passeio escolhido – que fiz foi R$ 120,00 (dividido por três pessoas).

Para ler ouvindo:

* Agradeço à Nozes Tour pelo passeio, mas deixo claro que este texto reflete somente minha opinião pessoal, mantendo meu compromisso de transparência com os leitores.

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Email this to someone