Onde se hospedar em Lisboa: minha experiência no Lisb’On Hostel

Estou aos poucos postando mais detalhes da minha viagem a Portugal, dicas de passeios, lugares que conheci e tudo o mais. Hoje a dica é de hospedagem em Lisboa.

Já falei aqui que a impressão ruim que muitas pessoas ainda têm de hostels está mudando porque, na verdade, os hostels estão mudando… E isso é muito bom, ver lugares mais estruturados e bem cuidados recebendo famílias, crianças, pessoas mais velhas, gente de todas as idades convivendo em um mesmo tipo de hospedagem que, no geral, tem um preço mais baixo e um custo-benefício muito melhor a oferecer aos viajantes.

Curta a página do blog no Facebook!

Hostel em Lisboa

Fiquei no Lisb’On Hostel e gostei principalmente da localização. Ele fica em um belíssimo casarão no bairro do Chiado, zona histórica e central de Lisboa, o que me permitiu fazer a maior parte dos passeios e deslocamentos à pé. Acho isso essencial, porque além de ser prático, é uma economia né? Também está pertinho de duas estações do metrô e de pontos de ônibus (autocarro) e bondes (comboio). Lá no fim do post tem um mapinha e todas as informações de contato.

 Antes de ir li alguns comentários falando do fato de estar em uma rua um pouco íngreme, mas, embora eu concorde que para algumas pessoas possa ser um problema, para mim realmente não foi, até porque toda essa região de Lisboa é cheia de ruas íngremes (até mais do que a do Hostel). E achei tranquilo/seguro de chegar mesmo à noite, o que também é essencial.

Faça sua reserva:

    
    Booking.com

Quartos

A estrutura do Lisb’On Hostel também é ótima e atende a diversos tipos de viajantes. Há quartos coletivos femininos, masculinos e mistos para quatro, seis, oito ou 10 pessoas. Nesses quartos há beliches com gavetões (cabe até a mala dentro se não for muito grande), luminárias individuais e tomadas em cada cama, e todos são muito bem organizados, com limpeza feita diariamente, roupa de cama e toalhas novinhas na chegada de cada hóspede, serviço de primeira. Os banheiros são coletivos, mas também muito bem cuidados, no feminino tem até secador de cabelos! Alguns possuem acessibilidade para pessoas com necessidades especiais. E há também quartos individuais ou de casal bem bonitos.

Quarto de casal que pode ser individual, como foi o meu caso

Quarto coletivo (Foto: Site Lisb’On Hostel)

Ou seja, opções para todos os gostos, tudo vai depender do que cada pessoa procura em uma viagem. Eu sou do tipo que sai de manhã, anda o dia todo e volta já na hora de dormir. Então o básico para mim é uma cama confortável, um bom chuveiro e café da manhã, três itens que o hostel atendeu de forma até superior à minha expectativa.

Ah! Cada quarto leva o nome de alguma região de Portugal. E os banheiros feminino e masculino são identificados como “Marias” e “Manéis”. Adorei!

Dependências

Além disso, há áreas comuns para uso dos hóspedes, que são bons lugares para conhecer outras pessoas e socializar.

Na sala de TV há sofás, mesas, cadeiras, computadores e jogos. Esse é um dos espaços mais bonitos do Lisb’On, o lustre é um luxo.

No térreo tem um jardim. E no espaço do café da manhã tem um terraço com uma vista linda do Rio Tejo e da ponte 25 de abril, mas com horário para fechar, respeitando a lei do silêncio, de forma que o barulho não incomode os vizinhos nem os hóspedes que já estiverem dormindo. Ponto para o hostel!

Eu não tive nenhum tipo de problema em relação a barulho, de gente chegando na madrugada, nem mesmo do que vinha da rua – há quartos com janela para o rio ou para a rua, que era o caso do meu, mas aí logicamente que o barulho foge do controle. Meu cansaço pode ter ajudado.

Vista noturna do terraço (Foto: Site Lisb’On Hostel)

Café da manhã

O café da manhã (7h30 às 10h30), incluído na diária, é simples, mas muito bom. Café, leite, achocolatado, pão francês, um tipo de bolo. O ambiente onde é servido é uma graça. E depois do café os próprios hóspedes é que lavam as louças que sujaram, ajudando a manter a cozinha organizada. Gostei dessa ideia de ser algo colaborativo! Ao longo do dia a cozinha fica disponível para quem quiser usar para preparar alguma refeição.

(Foto: site Lisb’On Hostel)

Organização e atendimento

Cheguei antes do horário do check-in e fui superbem atendida pela menina da recepção. Ela me levou até o locket para deixar a bagagem, depois quando voltei, me ajudou indo comigo até o quarto. Para subir aos quartos que não ficam no térreo (assim como as áreas comuns) há escadas e um elevador. E em cada cantinho a decoração é linda, misturando os elementos históricos da construção com peças coloridas e modernas, como já deu para ver em algumas fotos, né?

Destaco também que todas as vezes que passei pela recepção, independente do funcionário que estivesse na hora, todos foram bem solícitos. O Felipe, dono do hostel, que é brasileiro e foi com quem eu tinha falado em todos os contatos antes da viagem, acabei não encontrando. Mas falei com ele por telefone quando, passeando por Sintra, percebi que meu cartão de crédito não estava comigo. Pense no desespero da pessoa! O Hugo, guia com que eu estava fazendo os passeios de bate e volta (que já contei aqui nesse post) ligou para o hostel e conversei com o Felipe, que achou o cartão em cima da minha cama – tinha caído da bolsa quando eu saí. Amém, Senhor!

Antes de viajar para o exterior lembre-se de fazer o seguro!
Seguro viagem europa 728x90

Hospedagem em Lisboa: quanto custa?

Fachada do Lisb’On Hostel

Os preços das diárias no Lisb’On Hostel variam de acordo com a temporada e com o tipo de hospedagem. Mas, em média, uma noite em um quarto coletivo sai por 20 euros (quarto com seis pessoas) ou 13 euros (quarto com 10 pessoas). Para o quarto de casal, a diária custa em média 56 euros.

Fica aí minha dica de hospedagem em Lisboa em um lugar bacana, bem localizado, limpo e com bom preço… E por último, mas não menos importante: o wi-fi é ótimo e pega bem em todas as dependências! 😉

Serviço:
Lisb’On Hostel
Rua Ataíde 7A, Chiado, Lisboa, Portugal
Telefone: +351 21 3467413
Redes Sociais: Facebook e Instagram

* Agradeço ao Lisb’On Hostel pela cortesia nas diárias, mas deixo claro que este texto reflete somente minha opinião pessoal, mantendo meu compromisso de transparência com os leitores.

Gostou? Compartilhe!Share on Facebook0Tweet about this on Twitter0Share on Google+0Share on LinkedIn0Email this to someone