“Viajar é, ao mesmo tempo, sentir medo e vencer esse medo do novo”

ENTREVISTA-ROSANA-HERMANN

Foi no Twitter que eu conheci a Rosana Hermann. Isso láaa nos primórdios da rede e ela já reinava. De cara gostei das coisas que ela publicava e comecei a seguir. Logo comecei a ler seus textos e gostei, também, da forma como ela escrevia… E, desde então, a acompanho.

Rosana é multimídia.  Como ela mesma se define, é escritora, roteirista, colunista (do Estadão),  ½ maratonista, palestrante e viajante. Essa última característica, somada ao fato de ter criado e comandar, junto com Fábio Porchat, o maravilhoso programa de viagens Porta Afora, foi o que me fez convidá-la para essa entrevista, para saber um pouco mais das suas preferências e experiências pelo mundo!

Curta a página do blog no Facebook!

Entrevista: Rosana Hermann

Como começou sua paixão por viajar, quais as primeiras lembranças de viagem você tem?

Meu pai era da Aeronáutica e viajava muito por conta do trabalho, muitas vezes com a família. Assim, com 1 ano fui morar no Paraguay, com 4 fui morar nos Estados Unidos, com 12 fui morar no Canadá. Eu acho que viajar sempre fez parte de mim. Eu realmente amo viajar pra qualquer lugar. Viajar é ao mesmo tempo, sentir medo e vencer esse medo do novo, do desconhecido.

O que você leva em consideração ao escolher um destino?

Meu bem estar mental. Pode ser lugar frio, quente, com muita ou pouca gente, tanto faz. Mas tem que ser um lugar onde eu me sinta segura, sem medo de pegar doença, ser assaltada. Porque viajo para aprender, ver, sentir, experimentar e com medo ninguém faz nada direito.

Turistando

A post shared by Rosana Hermann (@rosana) on

Em viagens a trabalho você consegue tempo para conhecer os lugares? E nas viagens de lazer, consegue se desligar?

Quando viajo a trabalho sempre dou um jeito de aproveitar, nem que seja acordando muito cedo para da uma volta, ou botando um tênis pra correr pela cidade. Quando viajo pra lazer acabo sempre verificando meus emails ou mensagens pessoais, mas consigo me desligar uns…. 80% .

Geralmente quem corre mantém a prática em qualquer lugar, mesmo viajando. Com você também é assim? Já participou de corridas em outros lugares?

Sim! Corro em todo lugar onde vou ! Além de já ter treinado em muitos lugares (Berlin, Paris, Nova York), já fiz provas de corridas em Nova York, Los Angeles e Vancouver. Estou agora no Rio e tenho corrido todos os dias, seguindo meus treinos!

Alegriaaaaa

A post shared by Rosana Hermann (@rosana) on

Você é do tipo que viaja com tudo organizadinho, faz roteiro, ou prefere se deixar surpreender?

Eu pesquiso muito antes de viajar, pra ter uma ideia de onde estou indo e o que vou encontrar. Claro que me abro para acontecimentos inesperados, mas como um tempero. O prato principal é sempre o planejamento. Viajar custa tempo e dinheiro, então, perder tempo ou voltar e descobrir que ‘deixou de fazer algo maravilhoso’ é frustrante. Em geral, eu acabo fazendo coisas inesperadas por intuição, ocasião ou porque pessoas locais recomendam.

Como surgiu a ideia do Porta Afora, que é um programa de viagens diferente dos que estávamos acostumados a ver…

O Fábio sempre viajou (e viaja) muito. E sempre quis fazer um programa contando as histórias de viagem. Porque isso é o que acontece naturalmente com quem viaja, traz histórias pra contar. E ai, aconteceu!

Que transformações as viagens trazem para você e para sua vida profissional?

Viajar é aprender em movimento, é estudar vivendo, é adquirir cultura física e mentalmente, é interagir com o diferente. É alimentar os sentidos e a alma. E é nisso que a gente cresce!

Rapidinhas:

– Destino preferido no Brasil: Rio da Janeiro
– Destino preferido no exterior: Nova York

Olha a ponte!

A post shared by Rosana Hermann (@rosana) on

– O que não pode faltar na sua mala? Tênis e material de corrida
– Viagem que mais marcou: Deserto do Atacama
– Lugar que ainda sonha conhecer: Japão
– Viajar é bom porque… liberta a alma