Check-in 20 – Abril/18

Em abril o blog fez aniversário (3 aninhos) e eu já comecei ganhando um presentão daqueles, que foi o convite para participar do programa Encontro com Fátima Bernardes! Que mega experiência, uma oportunidade única de falar um pouco mais do meu trabalho aqui no blog com dicas para mulheres que viajam sozinhas. E por falar em viajar, teve viagem para o Espírito Santo, em um encontro de blogueiros, e muitas coisas boas que conto djá!

Para ler meu check-in dos outros meses clique aqui.

Na playlist

Silva é um cantor que eu já gosto há tempos e, recentemente, vi que ele lançou um CD cantando sucessos de Marisa Monte. Nem sei se ainda se lança CD, na verdade eu vi foi no YouTube mesmo… rs Mas fato é que a lindeza das letras caíram perfeitamente com a voz dele e eu não consigo parar de ouvir (ainda bem!). Deixo o link do álbum completo porque simplesmente não sei escolher uma só!

Na telinha

Começou mais uma temporada do programa Pedro Pelo Mundo, no GNT. Um dos meus preferidos de viagem. Nas chamadas ele vinha dizendo que seria uma temporada especial, eu já fiquei na expectativa, mas também na dúvida se seria mesmo ou se era só táticas pra chamar o público. Ainda não vi todos – já estão disponíveis no Now, mas tenho visto só os que já foram exibidos mesmo. Do que vi, posso confirmar que está especial mesmo. O primeiro (ou foi o segundo?), no Líbano, foi incrível. Porque não é um programa turístico, ou pelo menos não só isso. É uma aula, é informação, é um aprendizado para quem assiste. Recomendo demais!

Na cabeceira

Adoro como as coisas se conectam (e só me toquei disso agora, escrevendo). Um amigo me mandou o print do texto do Jornal O Globo sobre o programa do Pedro – “Turismo por procuração”, escrito por Arthur Dapieve. No fim do texto ele citou um livro que estava começando a ler: “Lugares distantes: como viajar pode mudar o mundo” (Companhia das Letras), de Andrew Solomon. O título de cara me chamou a atenção e fui atrás. Já comecei a leitura e algo me diz que vai ser bem interessante! São textos sobre lugares que passaram por abalos sísmicos culturais, políticos ou espirituais (sete continentes e 83 países como África do Sul, Brasil, China, Romênia, Ilhas Salomão, Equador, Taiwan, Mongólia, Antártica e Líbia), falando da transformação social vista pelos olhos das pessoas comuns.

Na mesa

Dizem no Espírito Santo que “moqueca é capixaba, o resto é peixada”. Tinha de conferir, né? Na verdade não tenho muito parâmetro ou informação para fazer comparativo, o que posso dizer é que o prato é maravilhoso. E é tão bom viajar e comer a comida típica local! O restaurante escolhido foi o xxx, em Vila Velha, que fica de frente para a praia, tem bom atendimento e é super bem servido: o prato, teoricamente, é para dois, mas estávamos em quatro e ainda sobrou!

check-in-abril18-na-mesa

Na mala

Repelente, meu povo. Repelente! Não deixem de usar. Ainda vou fazer um texto separado pra contar do perrengue que passei – resumindo, tive inúmeras picadas nos dois tornozelos, que incharam e fiquei com dificuldade para andar, além de muita dor. E eu até estava usando, mas de toda forma fica o lembrete mais uma vez! Protejam-se!

Curta a página do blog no Facebook!

Para inspirar

Vou falar de novo sobre a ida ao Encontro, porque poder falar em rede nacional sobre viajar sozinha, um tema que tanto gosto, e poder inspirar tantas outras mulheres, foi ótimo! Mas melhor ainda é ver o retorno através de mensagens e textos das viajantes que compartilharam e seguem compartilhando comigo suas experiências. Me inspiram e me enriquecem. Sou admiradora de cada uma!

Feliz por…

Então, como eu disse lá no comecinho, o blog completou 3 anos. Um embriãozinho ainda no meio dessa blogsfera. E esse último ano em específico foi de mudanças, de muito trabalho e de começar algumas colheitas que eu vim plantando e cuidando ao longo do tempo. Não teve festa textão específico como fiz nos outros dois anos, mas fica aqui o registro e o agradecimento a todos os que acompanham. É pra vocês que o blog existe e a cada novo passo tenho mais certeza de que ainda posso ir muito mais além! Que venha o quarto ano!