Como é ser mulher em países de culturas muito diferentes da nossa?

mulheres-paises-culturas-diferentes

Morar fora do país, independentemente de onde, já é uma experiência diferente. Mas, no caso de mulheres, num mundo que ainda é tão machista, algumas coisas podem ser um choque cultural maior, tanto pelo lado positivo como pelo lado negativo.

A Islândia, por exemplo, é um dos melhores países em relação aos direitos das mulheres, considerado o país mais igualitário do mundo. Já a Arábia Saudita é o oposto disso e, pelo menos do que a gente ouve falar, é aquele estereótipo total de machismo, como se as mulheres fossem submissas.

Leia também:
Sobre o direito das mulheres viajarem sozinhas
10 mulheres contam experiências para te inspirar

Isso pode ser comprovado por dados do Ranking Mundial da Igualdade de Gênero, feito pelo Fórum Econômico Mundial, levando em conta aspectos de comportamento, sociedade, educação, mercado de trabalho, entre outros:

De acordo com este ranking, a Islândia é o país número 1 já há alguns anos. Já a Arábia Saudita é o número 146 da lista, que tem ao todo 153 países. A título de comparação, o Brasil é o número 92. Para nós mulheres, especialmente para aquelas que, como eu, viajam sozinhas, saber disso é sempre um fato que faz pensar.

mulheres-em-paises-de-culturas-diferentes

Imagem de Elena We por Pixabay

Mas voltando às mulheres brasileiras vivendo em outros países… Como é, na prática? A questão de gênero impacta – ou não – no dia a dia? Como lidar com culturas únicas e abordagens diferentes sobre os direitos das mulheres?

Em um dos episódios recentes do podcast Além do Olhar, que faço junto com a Amanda do blog As Viagens de Trintim, tivemos duas convidadas para conversar sobre este assunto:

– A Erika Carneiro, do insta @islandia_express, que vive na Islândia há 15 anos com o marido islandês e duas filhas.

– A Gabi Lirio, do insta @gabilirio, que vive na Arábia Saudita há seis com o marido brasileiro que foi a trabalho.

– Também contamos a participação de Cleide Sousa, do @blogporondeeuvou, que mora no Japão há mais de 1 ano, para falar sobre machismo e os direitos das mulheres na terra japonesa.

mulheres-brasileiras-paises-culturas-diferentes

Gabi, Erika e Cleide – Fotos: Reprodução/Instagram

Mulheres em países de culturas diferentes

Elas compartilharam as impressões e a visão de quem convive de perto com todas as diferenças sociais, culturais e, principalmente, em relação às questões femininas, seja algo bom ou ruim.

Na Islândia, por exemplo, a Erika ficou surpresa quando convidados estranharam que o aniversário de 4 anos da filha dela tinham pratinhos de fadas para meninas e de piratas para meninos. Afinal, para eles esse tipo de diferença não existe. Se surpreendeu positivamente também com a boa estrutura para crianças e mães.

Já na Arábia, a Gabi precisou entender que em algumas festas as mulheres ficam em ambientes separados dos homens. Além de outros detalhes como o fato de não haver bebidas alcoólicas no país e da adaptação ao vestuário. Mas diz que aos poucos as coisas estão mudando.

Quer saber mais? Ouça aqui ou procure “Além do Olhar” na sua plataforma de áudio preferida.

Foto principal: Imagem de Betti Cohen-Kowalski por Pixabay

Conheça meu livro de crônicas "Eu não quero chegar a lugar algum" e entre em contato para adquirir o seu no formato digital ou físico.
Gostou? Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
0Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email