Jardim do Palácio do Catete: lazer e história no Rio de Janeiro

jardim-palacio-do-catete-rio-de-janeiro

Eu adoro jardins. Geralmente são lugares que me transmitem paz e onde eu consigo desacelerar, respirar. Nessa blogagem coletiva #JardinsPeloMundo (que é quando vários blogs se reúnem para dar dicas sobre um mesmo tema), escolhi indicar um que fica bem pertinho da minha casa e é um refúgio pra mim. Nem que seja para cortar caminho na ida para o mercado, já me dá uma sensação boa de estar naquele ambiente. Gosto tanto que costumo chamar de “Meu Jardim”.

Estou falando do Jardim do Palácio do Catete, que além de lindo, é também um passeio histórico e cultural no Rio de Janeiro!

Curta a página do blog no Facebook!

Jardim do Palácio do Catete

Ele fica nos fundos do Museu da República, que foi a sede do governo federal quando o Rio de Janeiro era a capital do Brasil. Um espaço de muito verde, árvores, lago, grutinha de pedras, pista para andar, bancos para descansar, muita sombra, parquinho infantil, corredor de palmeiras imperiais originais do século XIX, esculturas, alguns animais como patos e miquinhos… Ocupa um quarteirão inteiro da Rua Silveira Martins, indo da Rua do Catete até a Praia do Flamengo.

jardim-palacio-do-catete-palmeiras

Lá acontecem também algumas rodas de chorinho e outros eventos culturais, encontro de grupos para prática de atividades como yoga e tai chi chuan, exposições de fotografia, feira de literatura, de orquídeas, entre outros.

E tem uma lanchonete com mesinhas em um espaço coberto (mas aberto) e um cinema com filmes bem legais, geralmente que fogem do circuito mais comercial, e com preço mais baixo.

jardim-palacio-do-catete-coreto

jardim-palacio-do-catete-gruta

Em 1938 o Palácio do Catete e o Jardim foram tombados pelo Serviço do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (SPHAN), hoje Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (IPHAN). Com o tombamento, os traços paisagísticos do jardim ficam protegidos e preservados, não podendo passar por alterações sem que haja uma autorização prévia do IPHAN.

Em 1960, com a transferência da capital para Brasília, o Palácio do Catete foi transformado no Museu da República e o jardim foi aberto ao público. Na década de 1990 os antigos muros foram substituídos por grades, com três portões, um na Praia do Flamengo, um na Rua do Catete e um lateral na Rua Silveira Martins. Por ser um local fechado, acaba sendo também uma alternativa de lazer mais segura.

jardim-palacio-do-catete-rua

Jardim visto da Rua Silveira Martins

Já o Museu é uma construção linda por fora e por dentro, rica em detalhes, com todos os cômodos montados, mobiliário completo e outras informações, como fotos, documentos de acervo, obras de arte.

É um superpasseio para quem gosta de revisitar locais que foram palco de acontecimentos importantes, como, por exemplo, o suicídio de Getúlio Vargas. O pijama com o furo da bala e a arma usada por ele estão expostas no quarto onde o ex-presidente “saiu da vida para entrar na história”.

jardim-palacio-do-catete-museu-da-republica

Museu da República

jardim-palacio-do-catete-foto-antiga

Em exposição de fotos no jardim, imagem do ex-presidente Nilo Peçanha sentado em um dos bancos

Visitar o Jardim do Palácio do Catete e o Museu da República é garantir um momento de lazer e também conhecer um pouco mais da história republicana brasileira.

Serviço:
Rua do Catete, 153 – em frente à estação de Metrô Catete.
Aberto diariamente de 8h às 18h e às 19h no horário de verão.

Veja mais dicas de outros blogs que também postaram sobre #JardinsPeloMundo

Para ler ouvindo: