Panelas de barro, uma tradição capixaba

panelas-de-barro-capixabas

A tradição das panelas de barro capixabas vem dos índios que viviam no Espírito Santo bem antes de Cabral e sua turma chegarem ao Brasil. E a atividade, predominantemente feminina, se mantém até hoje, passada de geração em geração há mais de 500 anos, o que fez com que as paneleiras se tornassem um dos principais símbolos da identidade capixaba.

A prática tem características únicas e o ofício das panelas de barro do Espírito Santo é reconhecido como o primeiro Bem Cultural de Natureza Imaterial do Brasil e tombado como Patrimônio Cultural Brasileiro pelo IPHAN (Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional).

E a panela é um item essencial no preparo do prato típico do estado, a moqueca capixaba. Para ser legítima mesmo, tem de ser feita na panela de barro!

Leia também:
Receita de moqueca e onde comer

Como são feitas as panelas de barro capixabas

Em Vitória, capital do Espírito Santo, a produção das panelas de barro acontece no galpão das Paneleiras de Goiabeiras, cooperativa localizada à beira de um manguezal, onde dezenas de famílias trabalham fazendo artesanalmente as famosas panelas.

É uma dica de passeio diferente e bem interessante (e gratuito!) para quem viaja ao estado. Poder ver as mulheres e alguns homens também trabalhando em conjunto, em família, nesta atividade tão tradicional é uma experiência que certamente vale a pena!

Leia também:
Passeios em Vitória e Vila Velha

Visita ao galpão das Paneleiras de Goiabeiras

panelas-de-barro-espirito-santo-galpao-paneleiras-goiabeiras

Em uma visita ao galpão das Paneleiras de Goiabeiras é possível acompanhar cada etapa do processo, conversar com as artesãs, comprar por um preço bem mais em conta que em outros lugares. Logo na entrada, fica essa panela gigante gigante aí da foto que de cara já chama a atenção! E, por dentro, vários estandes.

Lá é possível até mesmo fazer sua própria panela de barro – para isso é preciso agendar previamente pelo telefone (27) 3327-0519. Então eu acabei não fazendo…

 

A argila, extraída pelos homens, no Vale do Mulembá, no bairro Joana D’Arc, e vendida às paneleiras, fica toda em um canto do galpão.

Cada artesã vai pegando sua parte, levando para seu estante, onde então é feita a modelagem, amassando a argila com água e fazendo tomar forma de panela. Quando pronta, é a hora de colocar para secar.

Depois Já seca, é feita a raspagem com pedra ou faca, para deixar mais lisa e melhorar o formato. Então acontece a pintura, com tinta natural extraída da casca de uma árvore do manguezal.

Por fim, é feita a queima – há um espaço externo próprio para isso bem em frente ao galpão. E o último polimento, deixando as panelas prontas para serem utilizadas.

Um trabalho incrível e uma das principais manifestações da cultura popular do país. Não deixe de conhecer de perto!


Booking.com

Paneleiras de Goiabeiras
Rua Leopoldo Gomes Sales, 55, Goiabeira Velha, Vitória/ES
De segunda a sábado de 8h às 18h30, domingos de 9h às 15h
Entrada gratuita

Conheça meu livro de crônicas "Eu não quero chegar a lugar algum".
E entre em contato para adquirir o seu no formato digital ou físico.
Gostou? Compartilhe!Share on Facebook
Facebook
0Tweet about this on Twitter
Twitter
Share on LinkedIn
Linkedin
Email this to someone
email